domingo, março 30, 2008

Simplesmente de volta !!!®


Olá, para todos que achavam alguma coisa, estou de volta. Acho que o processo de voltar a escrever seja o mesmo de se voltar à academia. Por mais que os outros falem, te cobrem (em alguns casos), peçam, supliquem (acho que não foi o caso), na verdade nada disso adianta. O movimento tem que ser seu e só seu. Uma coisa muito egoísta até, mas que funciona. Minha volta à academia foi a mesma coisa. Todos falavam que eu tinha engordado, alguns até meio que nem me reconheciam, poucos se assustavam. Não sei se foi para tudo isso, mas foram bons (péssimos) 14 quilos. Mas nada disso adiantou. Nem os apelos da minha noiva. Nem o espelho, nem as calças e camisas acumulando dentro do armário. Nem minhas próprias promessas de que na segunda-feira eu começaria. Sempre eu tinha uma desculpa. Às vezes nem tão boa, mas que surtia algum efeito. Mas no dia 18 de dezembro, acordei e simplesmente fui. Para alívio meu e de minhas roupas, já se foram 15 quilos. Quando comecei a escrever aqui, comecei meio tímido. Mas a coisa começou a fluir e não parei mais. Até que um dia uma pessoa que achei que fosse ser como uma madrinha para mim, me golpeou certeiramente, e depois disso fiquei desgostoso e resolvi dar um tempo. Esta pessoa se disse encantada pelos meus textos, e me convidou para fazer parte de uma revista semanal que ela iria lançar e o melhor da festa, eu iria ser remunerado por isso. Quer coisa melhor ? Cheguei a enviar alguns textos meus para a publicação de estréia da revista. Até que alguns dias antes, esta pessoa me procurou pedindo uma ajuda financeira para ajudar nos preparativos do lançamento da revista. Achei aquilo estranho, e disse na época que não tinha como ajudar. Depois desse dia, ela nunca mais atendeu a um telefonema meu, e nunca mais apareceu na minha frente. Ou seja, uma coisa que era um sonho para mim, ter uma coluna publicada numa revista que tinha virado realidade, passou a um pesadelo numa fração de "cifrões". Não estou fazendo drama. Mas senti um bocado essa rasteira, essa desilusão. Essa mesma pessoa, não era tão estranha, pois ela se apresentou, e mostrou seu "currículo". Claro que fui ver quem era. E pelo menos a história de apresentação dela era verdadeira. Juro que não entendi até hoje o porquê dela ter feito isso. Será que tudo isso valia os R$ 200,00 que ela havia me pedido ???

Enfim.....

Estou de volta. Uma pena que tanta coisa aconteceu nesse intervalo de "férias", e eu não pude comentar nem soltar meus cachorros. Mas não muito diferente do que estávamos acostumados a ver. Infelizmente.

A situação do país mudou um pouco. A crise política se agravou. Os cartões corporativos estouraram. A dengue tomou conta do Rio de Janeiro. Eu fiquei desempregado e sigo agora firme na luta por uma vaga nos concursos públicos que aparecem e que não sofram nenhum adiamento por fraude. É impressionante a quantidade de pessoas que estão nessa luta comigo. Uma luta até ingrata. Uma verdadeira guerra. Que eu irei vencer. Num país que não sabemos o dia de amanhã, o único emprego com alguma segurança é o público. Quero poder assumir compromissos e constituir minha família. Já está mais do que na hora. Que assim seja.

Mudando radicalmente de assunto, e já pegando fôlego, não posso admitir que ainda se perca tempo se discutindo para onde deve ir o traficante Fernandinho "Viajante" Beira-Mar. Para onde ele realmente deveria ir, isso não pode ser falado nesse horário. É inapropriado. Que fique por lá. Para que trazê-lo novamente para o Rio de Janeiro ?. Basta o mosquito da dengue. Não precisamos de mais coisas. Ruinzinhas. E põe ruim nisso.

Enfim....É isso. Vou tentar não esmorecer e ver se começo a me empolgar novamente de traçar algumas linhas todas as semanas como sempre fiz.

Então até semana que vem.

Um comentário:

Maria de Fatima disse...

Estou muito surpresa.Sento quase todo dia ao seu lado no curso,acho vc extremamente bem humorado,com excelentes tiradas,mas não podia imaginar que vc escrevesse tão bem.
Parabéns!Adoro boas surpresas e fiquei feliz de ter como colega de carteira(sala)um promissor escritor de livros,que com toda certeza não deve demorar muito a escrever seu próprio livro.
E quem vai comentar seu livro serei euzinha.