segunda-feira, janeiro 12, 2009

Meu Nome é 0800 !!!®


Hoje não é nem para atender a alguns leitores que não gostam quando falo mal do Lula. O que é dele tá guardado.

Então saindo totalmente do caminho e pegando o atalho mais próximo vou aproveitar esse espaço para desabafar e se tudo der certo que este meu texto viaje do Oiapoque ao Chuí com direito a não enfrentar fila em nenhum aeroporto.

Como disse no título, meu nome é 0800. Há dois anos atrás, fui objeto de matéria da coluna Defesa do Consumidor do jornal O Globo como o que mais havia reclamado naquele ano. Não tinha como negar. Tava lá uma foto de quase meia página. E o que mudou de 2006 para cá?

Quase nada. Ou melhor, alguma coisa. Entrou em vigor o nome código e as novas regras dos Sac´s. Mas haja sac´s para aguentar ainda ter que ouvir de certa empresa: " ainda estamos trabalhando para melhorar o nosso atendimento...". Melhorar?? E dá para melhorar?

E quem irá fiscalizar isso? Para quem iremos reclamar do SAC de certa empresa? Outro SAC? Ninguém merece.

Ou será que merece? Será que vale o mote de cada um tem o SAC que merece?

Muito bem, eu já de cara posso listar algumas empresas que parece que ignoraram totalmente o que reza as novas regras. Se algum jornalista quiser nomes, estou pronto para dá-los. Doa a quem doer.

Mas o que não poderia deixar passar em branco é o drama que venho vivendo com a Oi e de passagem com a Anatel.

Prometo que vou resumir ao máximo, mas vale a pena ler. Você pode estar passando por isso também. Mudei-me recentemente, e solicitei uma linha a Oi. Fui informado que não existia a possibilidade de uma linha cabeada, somente com a tecnologia WLL (acho que isso). Internet? Com esse sistema? Só 3G. Falei com 8 atendentes diferentes. Na nona tentativa, uma luz. Mas no aguarde um momentinho, a ligação (claro) caiu. Liguei de novo e não havia mais possibilidade.

O tempo passou, e um belo dia recebo um telefonema da Oi. Do outro lado da linha, uma oferta. Uma linha cabeada. Repassei a promoção e tudo o que estavam prometendo por três vezes, para não haver erro. Como o sistema estava fora do ar, a atendente (resolvi ocultar o nome das pessoas) me disse que ligaria mais tarde para passar o número do protocolo. Não ligou.

Pronto ou era trote ou ela desistiu de mim. Mas no dia seguinte eis que minha amiga liga. Informa o número do protocolo e diz que em alguns dias alguém da Oi irá entrar em contato para agendar a instalação da linha. Não deu 5 minutos e o interfone tocou. Era da Oi. Que eficiência.

Assim como o técnico subiu ele desceu. Nada do que havia sido dito iria ser cumprido. Ainda entrei novamente em contato com o SAC da Oi relatei tudo e a atendente me disse que era para esperar a conta chegar, eu então ligaria para eles reclamando da cobrança da instalação (era uma das promessas a sua isenção) para que depois eles ouvissem a ligação e pudessem estornar. Ou seja, começar já com um problema pré-agendado. Legal essa Oi.

Comecei então enviando uma reclamação para a Oi e outra para a coluna Defesa do Consumidor do O Globo. Uns três dias depois entraram em contato comigo da Ouvidoria da Oi. Fala daqui, fala dali, mais alguns detalhes e pediram que esperasse uns dias.

Ligaram-me e disseram que ouviram a tal da ligação e que iriam cumprir o que foi ofertado.

Fim dos problemas? Ledo engano.

Um dia depois de instalada a linha (com o final do meu telefone feito especialmente para mim e sem que eu pedisse, 2xxx-0800) começaram outros problemas. Dois números começaram a ligar para minha casa e quando eu atendia o telefone estava mudo. As ligações foram aumentando, e hoje totalizam mais de 65. Entrei em contato várias vezes com o SAC e todas as vezes me diziam que nada poderia ser feito pois tratava-se de um trote. Trote? Então quer dizer que de um dia para outro, duas pessoas do Rio de Janeiro,(os telefones são de endereços distintos) resolveram ao mesmo tempo, passar trote para minha casa? Gritei e consegui abri um chamado de atendimento. Pois a única solução dada pelos atendentes era ir na Polícia.

Calma tá acabando...

O técnico veio aqui, e descobriu o defeito. Está num equipamento na central da Oi e que será reparado em breve. Tudo bem paciência é meu nome (também). No dia seguinte dessa visita, apareceu outro técnico ao qual relatei tudo e este não sei porque mexeu na caixa do telefone e me deixou sem telefone. Estou desde sábado sem telefone e esperando para que deixem pelo menos a linha como estava. Pois paralelo a esse problema detectado, eu conseguia receber e fazer chamadas.

No meio desse turbilhão liguei para a ANATEL, órgão criado para justamente policiar e fiscalizar as operadoras de telefonia, pois queria que a Oi abrisse um chamado para resolver o problema dos telefonemas que estava recebendo. A atendente muito rude, não quis abrir uma reclamação, uma vez que não havia defeito na minha linha. Eu insisti que havia sim defeito, e ela continuou se recusando a abrir uma reclamação. E disse que eu tomasse a atitude que quisesse, mas que ela não iria abrir reclamação nenhuma.

Agora eu pergunto se o órgão supremo se nega a lhe ajudar, o que fazemos? Sentamos e choramos? Quem fiscaliza isso? O Lula? Se pelo menos ele lesse... Mas isso eu falo depois, prometi que pouparia o Lula.

Mas a realidade é essa. Estamos ainda com um abismo entre o que oferecem, o que prometem e o que queremos. Claro que nada será perfeito. Não existe tal coisa. Mas o que queremos cada vez mais é mais respeito, mais atenção e que as empresas não achem que somos o lixo do lixo e podem fazer o que quiserem quando se trata de nos escutar.

Um comentário:

FNeves (Fernanda) disse...

Essa foi à primeira coluna sua que eu li. E achei divertidíssima. Me fez lembrar o meu irmão. Que fica horas com atendentes da OI. Ele também tem farias histórias cada uma mais hilária que a outra. Ele reclama de tudo. Até de uma bijuteria ter ficado escura antes do tempo proposto a ele. Muito boa. Parabéns!!!!! Bjus....